Descobrindo o litoral brasileiro: Praia do Sagi

Publicado em


sagi 3

Com a quantidade de informações distribuídas nesta nossa internet sobre roteiros de viagem e as facilidades para viajar, é difícil encontrar um destino quase desconhecido pelos turistas de plantão. Mas, boa notícia, eles existem aos montes por aí. Distante 18km de uma rodovia asfaltada, a Praia do Sagi é como um oásis entre as vizinhas mais conhecidas e movimentadas, Pipa e Baía Formosa.

Em um vilarejo de pescadores, a praia fica próxima à divisa do Rio Grande do Norte com a Paraíba e ainda guarda aquele clima de quase intocada, com área de mangue preservada, poucas residências e noites de silêncio absoluto. Em Sagi, os jovens ainda estão descobrindo os encantos da internet e as pessoas adoram conversar sobre as mudanças na região.

Para chegar à praia, é preciso percorrer uma estrada de barro – quase sempre esburacada – em meio ao canavial. Só há sinais de civilização no pequeno vilarejo, margeado de um lado pelo Rio Guaju e do outro pelo Rio Sagi. Na Praia do Sagi, não há vida noturna intensa e a proposta é realmente descansar e aproveitar a natureza.

 

O QUE FAZER

sagi 6

Fazer um passeio de Buggy até o Rio Guaju

Da Praia do Sagi, há duas opções de passeio de buggy. Uma dela custa cerca de R$ 300 e percorre 15 km sentido Baía Formosa. A outra, mais econômica, é conhecer o Rio Guaju, na divisa com a Paraíba. O passeio custa R$ 80 e percorre uma área de praia completamente desabitada, onde só há um parque eólico e algumas dunas, antes de chegar ao rio. Por lá, há algumas barracas de bebida, comida e artesanato. É curioso e interessante o fato de que elas oferecem cardápios distintos, como se não quisessem competir entre si. Lá recomendamos fazer o passeio mangue adentro com o Tôta. Gente finíssima, ele conta muita história e curiosidades da região durante percurso. Custa R$ 20 por pessoa. Tôta também tem uma tirolesa no rio.

sagi 7

Não deixe de provar o espetinho de lagosta, famoso entre os visitantes do local. Além disso, o próprio Tôta serve deliciosos caranguejos feitos no côco. Uma dica importante: chegue cedo, a depender da maré, no fim da manhã vários carros 4×4 atravessam a divisa de balsa e tomam conta da faixa de areia, quebrando o clima de tranquilidade.

sagi 11

Conhecer o Rio Sagi e a barraca do Toreba

Do lado esquerdo do vilarejo, está o Rio Sagi. Uma parada estratégica de muitas operadoras de turismo, o local ganhou fama após aparecer em reportagens televisivas. A nossa dica é ir andando pela área de sítio até a barraca do Toreba, um personagem caricato da região. Lá existem vários passeios: de caiaque, stand up paddle e também de canoa, para conhecer a área de mangue. De canoa, você pode percorrer a área de mangue do Rio Sagi, mais fechada que a do Rio Guaju. Ao final, haverá uma “praia” para tomar banho e se melar de argila. Custa R$ 10 por pessoa. Fizemos com um cara chamado Banana Mix (isso mesmo!), que é outra figuraça da região!

sagi 10

Comer o pastel de arraia

Se de um lado a fama fica por conta do espetinho de lagosta, na fronteira oposta do vilarejo a pedida é o pastel de arraia. A iguaria é vendida nas duas barracas do Toreba. Aquela citada acima, de onde saem os passeios, e a outra, que fica no encontro do rio e do mar. Não deixe de frequentar esta segunda, as cadeiras e o guarda-sol ficam dentro d’água. O pastel custa R$ 5 (pequeno) e R$ 10 (grande).

sagi 2

Comer o camarão no coco do bar Ombak

O bar Ombak é um dos três únicos localizados na beira-mar da praia do Sagi. Vale a pena conhecê-los, eles oferecem extensa carta de cachaças e também um cardápio de praia daqueles que dá vontade de pedir tudo. Nossa recomendação é provar o Camarão que vem dentro de um coco verde. É indescritível de delicioso, a única ressalva é a quantidade. Comem no máximo duas pessoas.

 

Comer o Vinagrete de Polvo do Mandacaru

Já deu para perceber que a pegada de Praia do Sagi é descansar e comer muito bem. À noite, os bares da praia fecham e uma das poucas opções de jantar é o restaurante Mandacaru, localizado perto da praça da vila. Do mesmo dono da pousada Sagi Iti, o restaurante é bem acolhedor e tem um cardápio enxuto. Não deixe de provar o camarão gratinado,  o risoto de camarão (dos deuses) e o vinagrete de polvo (muuuuuito bom!).
sagi 8

ONDE FICAR

sagi 9A Vila de Sagi é pequena, tem uma população aproximada de 700 pessoas. O movimento turístico é praticamente de pessoas que passam o dia e seguem para dormir em cidades próximas. Entretanto, vale muito a pena reservar pelo menos duas noites para ficar na região. Existem apenas duas pousadas, com quantidade limitada de quartos em Sagi. É a preservação daquele clima de quase exclusividade que faz de Sagi um destino imperdível.

sagi 1

 

Reserve agora o seu quarto na Pousada Sagi Iti

Nós nos hospedamos na pousada Sagi Iti. Com apenas cinco apartamentos, cujos nomes fazem alusão às árvores da região, a pousada tem uma decoração charmosíssima e um corpo de funcionários altamente simpáticos. Os quartos possuem uma varanda privativa e, ao chegar, você será recebido com plaquinhas com os próprios nomes e duas taças de espumante. O arremate está na piscina de borda infinita, com vista para a praia e as dunas, que fica na parte superior da Sagi Iti.

7 comentários sobre “Descobrindo o litoral brasileiro: Praia do Sagi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.